CJPAV

 
 
Está aqui: Notícias
 
 

Notícias

Real Madrid anuncia criação de escolas em Timor

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF
( 0 Votes )

Firma_convenio

A Fundação Real Madrid e o Governo de Timor-Leste anunciaram hoje um protocolo que visa a criação de «escolas sócio-desportivas» em Dili, Miliana e Baucau, com o objectivo de «impulsionar a educação básica» no país.

 

Disparidades sociais e concentração populacional são "desafios" revelados pelos censos - Governo

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF
( 0 Votes )

Dili-Market

Díli, 08 jul (Lusa) -- A ministra das Finanças de Timor-Leste, Emília Pires, disse hoje que a disparidade social, a migração e o crescimento populacional são grandes desafios que se colocam ao Estado e aos parceiros de desenvolvimento.

"A disparidade entre as áreas urbanas e rurais, e o problema do crescimento populacional, associado à rápida migração para a cidade, exige forte investimento na educação e em infraestruturas básicas, como saneamento", exemplificou Emília Pires, na abertura da apresentação oficial do relatório dos Censos de 2010.

Outra questão salientada pela ministra das Finanças foi a do aumento do desemprego, que constitui outro dos grandes desafios para slots o futuro.

"Comparando com o censo de 2004, verificamos que a população aumenta a um ritmo superior à oferta ???????????? ????????? ???????? de trabalho. Quarenta por cento da população de Timor-Leste tem menos de 15 anos, o que indica que inúmeras pessoas vão querer entrar no mercado de trabalho anualmente. É um desafio a todas as entidades", comentou.

Outro dado a que aludiu foi à maior oportunidade de educação, sobretudo nas áreas urbanas, com resultados visíveis ao nível do domínio das línguas.

Segundo referiu, "houve um aumento significativo" dos que falam as duas línguas oficiais, o Tétum e o Português, bem como de uma das línguas de trabalho, o Inglês, "contrariamente ao Indonésio, que reduziu a sua expressão, quando comparado com o censo anterior".

http://noticias.sapo.tl/portugues

Lulik e a Sociedade Timorense

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF
( 0 Votes )

A palavra Lulik vem do Tétum e se fosse traduzida literalmente teria o significado de "proibido", "santo" ou "sagrado". Este é também o conceito de Lulik de acordo com Josh Trindade que apresentou o tema “ Lulik: The core of Timorese Values ” na conferência organizada pela UNTL e Universidade de Victoria na Austrália.

 

A apresentação de Trindade explica as origens do Lulik e como esta noção foi aproveitada pela igreja católica na propagação da religião , com a vinda dos portugueses, há quatro séculos atrás.

O mundo timorense hoje em dia ainda é muito ligado ao misticismo. Um universo em que os padres e as madres como os “matandok” ou curandeiros têm todos a mesma importância. Trindade conta como para um timorense moderno a referência ao Lulik confirma a ligação ao criador divino, aos espíritos dos antepassados, e à raiz espiritual da vida, e que inclui um conjunto de regras sagradas e regulamentos que ditam as relações entrelaçadas entre os humanos e a natureza.

Lulik regula como os humanos devem tratar a natureza com respeito. Nas cerimónias tradicionais praticados em Timor estão rituais como o respeito da bênção de sementes antes de o campo ser semeado ou depois da colheita a cerimónia de “Saubatar”. Lulik microgaming online casinos exige que seja mostrada gratidão à natureza, fonte de vida.

O estatuto tradicional da mulher timorense dentro da sociedade é também definido dentro do Lulik. As mulheres são veneradas pela sua fertilidade, diz Trindade e a vida da sociedade é centrada em torno das mulheres. Trindade defende que a noção moderna, os ideais do Cristianismo, e as influências do Ocidente, inverteram a importância da mulher na sociedade timorense, enfraquecendo a sua posição e tornando-a dependente do homem. Mas, a apresentação de Josh também revela o impacto negativo junto das mulheres da cultura que venera a fertilidade da mulher . As mulheres tornam-se reféns dessa condição, não podem exprimir a sua sexualidade ou discutir a sua saúde reprodutiva. Isso explica por exemplo a proibição do uso de biquíni em público.

Lulik não só exige o respeito pela natureza como também procura o equilíbrio entre a relação do masculino e do feminino . Trindade diz que “Lulik determina os comportamentos dos timorenses e as interações sociais dentro da sociedade. Lulik neste caso é usado como padrão ético e moral. Lulik regula a relação, os direitos e as obrigações dos irmãos mais novos e mais velhos, maridos e esposas, filhos e pais, irmãos e irmãs, contratos,etc. Uma noção muitas vezes mal compreendida pelos académicos.

Josh Trindade defende também que as cores ideais para a bandeira timorense deviam ser aquelas que são usadas na cultura, tais como o verde, o preto e o branco. Trindade considera que essas cores representam a filosofia de vida de acordo com o Lulik. Argumenta ainda que a mesma ideia se deve aplicar aos símbolos do país como o búfalo e o pombo, que são amplamente utilizados pelos timorenses no topo das suas casas sagradas para expressar o seu modo de vida.

Tudo isto diz Trindade seriam importantes contributos para a criação de uma base sólida que estimule o desenvolvimento da identidade nacional timorense. Uma questão a ponderar para a construção de um país moderno onde a sociedade ainda é muito regulada pela tradição.

http://noticias.sapo.tl/portugues

Universidade de Aveiro ajuda Timor Leste a repensar o ensino primário e secundário

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF
( 1 Vote )

 

Escola_Timor

Universidade de Aveiro ajuda Timor Leste a repensar o ensino primário e secundário

 

Crise portuguesa causa "preocupações profundas"

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF
( 0 Votes )

jose-socrates-b9d6

O vice-primeiro-ministro de Timor-Leste, José Luís Guterres, disse hoje que a crise portuguesa "traz preocupações profundas, não só aos portugueses, mas também aos países da CPLP".

 

Pág. 1 de 2

 
 
 
 

Contactos

Rua Taibesse
Dili - Timor-Leste
Caixa Postal: 195

 

Telefone/Fax: 3312245
Email - geral@cjpav.org

Horário de Funcionamento:

De 2ª a 6ª-Feira

8h.30 - 12h.30 / 13h.30 - 17h.30

Mapa